Buscar
  • Divanise Salto

Responsabilidade afetiva, o que tenho a ver? (matéria da revista subjetiva)

Vivemos em uma sociedade onde ninguém quer se responsabilizar pelos sentimentos dos outros. As pessoas não querem relacionamentos. Não querem “algo mais sério”. Nessa época de Tinders e Happns, onde tudo o que precisamos fazer para acabar com vínculos com uma pessoa, é desfazer um match e passar para o próximo, ninguém quer se sentir responsável por aquilo que não é seu.


Se não sou eu quem estou sentindo, qual a minha ligação com isso?


É bem verdade que é muito mais fácil ligar apenas para os nossos sentimentos. Ser egoísta, as vezes, não é errado. Priorizar a si mesmo, dar valor as nossas escolhas. Afinal, ninguém é obrigado a nada.

Mas até que ponto o nosso próprio umbigo é mais importante do que o próximo? Até que ponto devemos fingir que somos o centro do universo? Bem, até a porra do nosso universo estar causando impactos em outros universos.

Responsabilidade afetiva é quando tratamos os sentimentos das pessoas com quem nos relacionamos com empatia, seriedade e respeito. Sentimentos não são perfis nos quais damos like ou não. Eles existem, independente de fazermos algo para isso.

Quando nos relacionamos, temos que ter em mente que estamos plantando sementes no gostar do outro. Essas sementes podem vir a crescer e se tornar lindas flores, da mesma forma que podem morrer antes mesmo de se tornarem um broto. Mas mesmo com a possibilidade de nem chegarem a nascer, é nossa responsabilidade ter empatia com esses sentimentos.

É preciso deixar clara as nossas intenções. Fale, grite, desenhe, o que for. Deixe claro para a outra pessoa, como você se sente. Se está pronto para tentar algo mais sério. Se esta procurando apenas curtição. Se aquilo não vai passar de uns beijos e boa noite. Se existe a possibilidade da outra pessoa se tornar alguém especial na sua vida.


Tenha responsabilidade afetiva.


A cada vez que nos calamos, podemos estar plantando mágoas para a outra pessoa colher mais tarde. Fazer joguinhos de interesse é ridículo. Enquanto você manda mensagens de bom dia e fala que sente saudades da outra pessoa, quando não sente, ela não sabe de nada além daquilo que você fala. E desta forma, vai entregando o gostar dela para você. E se você não vai tratá-lo com respeito, não seja cretino(a) a ponto de iludir a outra pessoa.

Não diga aquilo que não sente. Não diga coisas das quais não tem certeza. Mas também não fique sem dizer. Seja claro sobre o que você sente e sobre o que não sente.

Toda e qualquer pessoa com quem nos relacionamos, merece ter seus sentimentos tratados com seriedade.

Não seja a pessoa que vai trazer sentimentos ruins para outro. Não seja aquele de quem alguém vai lembrar e sentir rancor. Não seja o motivo do coração partido de alguém. Tenha responsabilidade por aquilo que cativa nos outros.


0 visualização

 

Rua Padre Chico 221 sala 504 - Pompéia - São Paulo

Celular e Whatsapp: 55 11 99989-6574

Divanise@harmonizese.com.br